Follow by Email

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Vejam o que postei em maio sobre o Barcelona

quarta-feira, 3 de maio de 2017


Barcelona sobrou em cima do Bota e fez 2 a 0 tranquilo

O Barcelona deixou o Botafogo com as mãos na cabeça na primeira etapa. Foi show.

É simplesmente o Barcelona de Guayaquil, do Equador. Contudo, joga bonito. A vítima foi o Botafogo ontem (02-05), no Engenhão, no Rio, levando de 2 a 0, fora o baile na primeira etapa. Jogou para ter alcançado até mão cheia na primeira etapa. Claro que o Alvinegro também perdeu chances, mas as dos visitantes foram sempre em dobro. O Resultado todos sabem: o Barcelona garantiu a classificação no Grupo 1 para a próxima etapa da Libertadores, com dez pontos e o Botafogo, pode ter a  sua vaga na próxima rodada, diante do Atlético Nacional, também em casa.

Quais são os poderes deste time equatoriano? Joga limpo, no toque de bola, marca a saída de bola e ainda sabe usar a velocidade. Time organizado. Não é nenhum aventureiro que joga para ver o que vai acontecer. Gostei e muito. Alguns, claro, não vão concordar, mas deixou a melhor impressão. Tem futebol, como visitante, para ganhar dos outros participantes do Brasil na competição.

Preciso ressaltar que haverá ouros questionamentos, porque ganhou de um dos times mais fracos tecnicamente do Brasil na Libertadores, mas era o que vinha jogando com o melhor padrão e muito concentrado. No futebol sempre há um limite e o Barcelona mostrou ao Botafogo qual é o seu.

Completando: tem time também para passar pelo Grêmio nas semifinais.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Pausa no blog  

Devido à participação em processo eleitoral de um dos clubes da capital, a ética não permite que eu, por meio deste blog, emitir alguma opinião. O correto, nesse caso, é dar uma pausa, aproveitando para agradecer os seis milhões de acessos em três anos, atingindo todos os continentes (ontem fui lido até no Nepal) e, ainda, àqueles que me ajudaram a levar a todos informações e meus posicionamentos. Muito obrigado.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Copa do Brasil - O Mengão também chegou lá

Com expressão forte, Diego comemorou muito o gol contra o Botafogo: agora são 17 gols em 51 jogos pelo Flamengo (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)
Diego fez o gol (17º pelo Flamengo) depois da bela jogada de Berrío pela direita.

Diz a lenda, melhor, os apaixonados torcedores do Flamengo, que o melhor é não deixar o Mengo chegar, porque ele atropela. Nem tanto assim. Nos últimos anos (sua última grande conquista foi o Brasileiro de 2009), tem dado dor de cabeça para sua massa torcedora. Na Copa do Brasil 2017, porém, tem jogado com personalidade e com justiça é novamente finalista, buscando o seu quarto título, depois de vencer o Botafogo por 1 a 0 ontem (23-08), no Maracanã. No jogo de ida foi 0 a 0.

O que mudou do primeiro para o segundo jogo da decisão das semifinais? No primeiro, muito truncado, com poucas chances de gols e confusões envolvendo os jogadores. A bola foi reduzida. Desta vez, na primeira etapa, ainda pouco futebol, com a preocupação de ambos de não levar gols. Na segunda, o Botafogo, limitado tecnicamente e sentindo a falta de Pimpão e do zagueiro Joel Carli, ficou na dele, acreditando que poderia chegar lá nos pênaltis. A qualidade técnica faz falta nestes momentos. Só que o Flamengo foi mais agressivo. Criou as oportunidades e fez o seu. 

Importante destacarmos o trabalho de Reinaldo Rueda. Em seu comando, o Flamengo ainda não levou gols. A decisão contra o Cruzeiro (nos dias 7 e 29 de setembro) caminha para que seja espetacular. São gigantes. Privilégio para o futebol brasileiro e principalmente para as duas nações, que necessitam muito de uma grande conquista. Do tamanho do Brasil.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Ficou tudo azul. Celestes estão em mais uma finalissima

        Hudson fez o gol da vitória por 1 a 0. Jogou com muita raça. 

Foi um grande jogo, com muita disposição das duas equipes. Marcação cerrada e o Cruzeiro devolvendo ao Grêmio o placar de 1 a 0 que levou na primeira partida, em Porto Alegre. Na decisão por pênaltis, com  muito nervosismo, o Cruzeiro foi mais feliz e conseguiu fazer 3 a 2, classificando-se para a final da Copa do Brasil contra o Flamengo. Terá a chance de igualar ao Grêmio, cinco vezes campeão. Conforme antecipei na primeira postagem sobre as semifinais, os times que estão na Libertadores teriam problemas. Não deu outra. Caíram.O Grêmio diante dos celestes e os botafoguenses contra o Flamengo. São finalistas os dois melhores. Foram os mais determinados.

O Grêmio era o melhor time das semifinais e conseguiu fazer a vantagem em casa. Já ontem (23-08) não apresentou aquele futebol  brilhante de outras jornadas como visitante. Foi impedido, enfrentando forte marcação. Na primeira etapa, até que chegou a fazer um jogo igual, mas no segundo tempo, mais determinado, palavra chave hoje para os times que desejam vencer no futebol brasileiro, o Cruzeiro comandou as ações. Fez 1 a 0 e teve ainda chances marcar o segundo. Já Fábio ficou como assistente. Os gaúchos não ameaçaram. Foram decisivas também as mudanças feitas por Mano Menezes, principalmente ao escalar Arrascaeta nos 20 minutos finais. Ele fez um jogo inteligente pela esquerda e não permitiu que o adversário avançasse pelo seu setor. Tinha de ser viajado.

Mais uma vez temos de destacar as ações de Mano Menezes. Contra o Sport decidiu lançar o time principal. Obteve os três pontos, subiu para o grupo de cima no Brasileiro e ontem fez o que o  torcedor mais desejava: colocar o Cruzeiro na finalíssima. Jogou inteiro e não há o que contestar. O Grêmio, que poupou contra o Atlético-PR (0 a 0), foi envolvido. Chegou quem mereceu. Resposta positiva de um futebol coletivo e de uma torcida que empurrou o time do começo ao fim, em outro espetáculo inesquecível no Mineirão, com mais de 50 mil pagantes. Agora é hora de sonhar com o penta.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Galo consagra mais um: Henrique Dourado e o Z-4 fica próximo

Henrique Dourado fez a noite ficar iluminada para os Tricolores, que alcançaram a 7ª vitória.

A principal marca do Atlético-MG para o Brasileiro de 2017 ficará registrada na história como o time que mais consagrou adversários. Defensores e também atacantes. Na noite de ontem (21-08) foi Henrique Dourado (autor de dois gols), na derrota por 2 a 1 para o Fluminense, no Maracanã, fechando a 20ª rodada do Brasileiro. Antes os fracassos eram justificados pela necessidade de mesclar o time devido as outras competições, principalmente a Libertadores. Agora depois de uma semana de treinamentos, fica claro que será uma temporada horrível. Triste para quem acreditou que seria um ano de conquistas. Nem o bom desempenho como visitante agora não existe. Perdeu também esta credibilidade depois de mais um fracasso. Três pontos o separam da zona de rebaixamento.

É bom o atleticano não se iludir com as palavras dos dirigentes, dos técnicos (agora Micale) e também dos jogadores, quando asseguram que o melhor rendimento virá para o próximo jogo e ainda que são reais as chances de lutar por uma das vagas da Libertadores-2018. O aviso está dado: a briga será na parte de baixo da tabela. O resto é demagogia. Subestimar a paixão e a sabedoria do torcedor. O time disputou 12 pontos contra os cariocas e conseguiu apenas cinco. Zerou contra o Fluminense em seis disputados. Que horror!

Falar do jogo para o atleticano é tormento. Para o Fluminense, uma noite não que tudo tenha dado certo, mas importante para seu principal artilheiro, Henrique Dourado (12 gols no Brasileiro), que aproveitou dos erros de marcação e saiu como herói. E por falar em herói quem foi o do Galo nestes 20 jogos do Brasileiro? Pasmem. Não teve. O gol contra o Flu foi marcado por Valdivia, o primeiro em 11 partidas. Duro. 

domingo, 20 de agosto de 2017

Cruzeiro 2 a 0 no Sport. Dez para Mano Menezes

  
      Sassá abriu o caminho de mais uma vitória celeste no Brasileiro

Não é nenhum exagero dar nota dez para o técnico Mano Menezes pela lucidez ao escapar um time completo, sem poupar A ou B para enfrentar o Sport hoje (20-08), no Mineirão. Vitória por 2 a 0, a  oitava no Brasileiro, subindo para o grupo especial da competição: o G-6, aqueles que estarão na Libertadores 2018. Já o Grêmio, seu adversário de quarta-feira, também no Mineirão, pelas semifinais da Copa do Brasil, hoje contra o Atlético-PR, optou em jogar com uma equipe reserva e apenas empatou por 0 a 0 em casa e a tal sonhada aproximação do líder Corinthians (mesmo derrotado por 1 a 0 pelo Vitória), não aconteceu. São sete pontos separando os dois primeiros colocados.

O Cruzeiro fez um jogo inteligente, usando técnica, experiência e juventude para vencer. Na hora certa fez os gols e quebrou o encanto do Leão Pernambucano, que esperava a quarta proeza fora de casa. Foi envolvido e não ameaçou o tanto que esperava. O placar foi justo. Melhor ainda porque o Cruzeiro agora faz parte dos melhores e na quarta, se jogar um bolão, (está é a expectativa do torcedor) tem condições de tirar a diferença (perdeu por 1  0 para o Grêmio no primeiro jogo) e ser finalista da Copa do Brasil mais uma vez. A torcida está confiante, principalmente graças a outra jovem promessa; Raniel, autor do segundo gol hoje. Está subindo e  pode ser a tão sonhada presença de área que todos esperavam.

Foram perfeitas as manobras de Mano Menezes. Que na quarta ele tenha sabedoria para repetir a dose.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Copa do Brasil - No Engenhão teve de tudo para Bota e Mengo. Faltou o gol

Foi um clássico tenso ontem (16-08), no Engenhão, entre Botafogo e Flamengo, primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil. Expulsões do goleiro Muralha e do zagueiro Carli (foto); uma bola na trave de Diego, em cobrança de falta, muito disse me disse, discussões, empurrões e no final o placar justo: 0 a 0. A decisão da vaga fica para a próxima quarta-feira, no Maracanã. Novamente será um confronto de arrepiar, diante do desejo de ambos de garantir uma vaga na finalíssima. O torcedor, com certeza, verá outro belo espetáculo e com gols.  Não vai dar para ficar atrás jogando para não levar gols.

Na estreia de colombiano Reinaldo Rueda no comando do Flamengo, o time não vacilou. Foi coeso. Já o Botafogo fez aquele jogo de sempre e chegou com perigo em algumas oportunidades. O placar coloca o Alvinegro em uma situação boa para a segunda partida, porque se acontecer o empate com gols, a vaga será sua. No caso de repetição do 0 a 0, a decisão será por pênaltis. O Flamengo terá de ir com tudo para cima e confirmar porque é o papa títulos entre os cariocas na Copa do Brasil. Busca o quarto, enquanto o Botafogo jamais teve esta alegria.